quarta-feira, 31 de março de 2010

Where The Wild Things Are (2009)


Adaptação do livro de 1964 de Maurice Sendak feita para o cinema pelo diretor Spike Jonze e o romancista David Eggers.
Na mão dos dois, a história se tornou um filme cheio de pontos reflexivos para nós adultos.
Max, o protagonista, é uma daquelas crianças apaixonantes, que parecem ter vivido mais anos do que aparenta.
Os diálogos com os monstros são de uma sensibilidade que há muito tempo eu nao via em um desses filmes "supostamente" infantis.
Sobre o elenco, só de citar a presença Forrest Whitaker (Ira) e Catherine Keener (a mãe) não preciso me prolongar falando sobre. E o personagem mais adorável, o Carol, ficou a cargo da sensacional atuação do James Gandolfini da Família Soprano. Conta também com uma pontinha do Mark Ruffalo.
A trilha sonora da vocalista do Yeah Yeah Yeahs, é muito moderninha pro meu gosto, definitivamente nao me agrada. Não sei se o gosto pessoal influenciou demais minha opinião, mas em alguns momentos senti que a música nao se encaixava com o que estava rolando. Porém, tenho que admitir que a combinação da trilha com a fotografia deu ao filme  um ar de "produção independente".
E falando nisso, a fotografia realmente é um ponto altissimo. Diferente de todas essas produções com seres fantásticos e um mundo extremamente colorido, Lance Acord, o diretor de fotografia, abusou das cores opacas nesses cenários mágicos e afastou o filme do perigo de ter uma aparencia ordinária demais para as metáforas propostas pelos diálogos e situações.

Carol: This part of your kingdoms not so good.
Max: Why?
Carol: Well look this used to be all rock, and now its sand, and then one day its going to be dust, and then the whole island will be dust, and then... well I don't even know what comes after dust.

Por tudo isso é um filme que verdadeiramente vale a pena assistir, então deixo aqui além do trailer, o endereço pra download com imagem, áudio e legendas muito bons.











terça-feira, 30 de março de 2010

Analisando o você em mim.


Fácil sentir sua presença dobrando a esquina, procurando as sombras na calçada pra evitar queimar a pele branca. Não por costume, mas é fácil saber quando é você, exatamente você, abrindo o portão, puxando a trava e fazendo-a ranger lentamente, meio como se estivesse cansado, meio como fosse de tédio. Distingo seus trejeitos e modos, mas não consigo decifrá-los assim, tão facilmente.
Acho que ninguém consegue. Ninguém nunca foi capaz de exercer qualquer tipo de poder sobre você, que sempre saiu pela tangente dessas situações, nunca abdicou sua liberdade, nunca desrespeitou nenhuma vontade que brotou daí de dentro... Mas de uma forma impressionante faz todos acharem que possuem um pouquinho disso tudo que você partilha com o mundo. Seu sorriso e riso, sua fala mansa, seus olhos sempre procurando e absorvendo, seu andar e sua voz que reconheço em meio a uma multidão de sons, vozes e músicas. A sua música... As nossas músicas, os nossos livros, frutas e fatos. Olha eu, achando que divido algo com você, falo como se fosse intima de tudo que é teu.
Desejei durante muito tempo fazer parte do seu roteiro, me adaptar a sua maneira de conduzir a dança, a sua vontade de tirar o mundo inteiro pra dançar. E demorou a mesma quantidade de tempo... Talvez até mais, pra eu conseguir me dar conta que só de estar perto e em suas lembranças já é o suficiente, e não me contento com pouco, nem subestimo meu potencial em te cativar, só considero o bastante ter de você aquilo que não foi concedido a ninguém, nunca.
Procuro palavras pra te agradar, invento histórias pra te entreter, me enrolo em seus cabelos e braços pra te roubar por um instante pra mim, enfeito suas qualidade e defeitos pra que te percebam como eu, abuso da tua boa vontade de ficar por perto e me fazer companhia, só pra que eu não tenha que admitir o quão impotente sou em relação a tudo isso.
Reconheço sua necessidade de sair e voltar quando achar necessário e sofro imensamente antecipando o dia em que terei certeza que quem está fazendo o portão ranger, os barulhinhos contidos na fechadura pra não me deixar perceber sua presença e encostando os sapatos perto do móvel da sala é qualquer ser ordinário, menos você.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Andy Warhol - MR. AMERICA.

"During the 1960's, I think, people forgot what emotions supposed to be. And I don't think they've ever remembered."

E para ver algumas obras como essas abaixo, e muitas outras do gênio, é só comparecer na Pinacoteca a partir desse sábado. Eu fiquei tão feliz com isso, que tive mesmo que postar a notícia no blog. :D

ANDY WARHOL, MR. AMERICA
Quando: abertura, sábado, às 11h; de ter. a dom., das 10h às 18h
Onde: Estação Pinacoteca (lgo. General Osório, 66, Centro, SP, tel.0/ XX/11/ 3335-4990); até 23/5
Quanto: R$ 3 a R$ 6 (sábado, grátis)
 

quarta-feira, 10 de março de 2010

Jeff Bridges e Crazy Heart.

"I wanna talk about how bad you make this room look. I never knew what a dump it was until you came in here."

Assisti Crazy Heart um dia antes do Oscar. É um filme muito a cara do Jeff Bridges, o papel perfeito pra ele, como não acontecia há alguns anos. E filmes assim, tudo a ver com ele, são o oposto do que a Academia julga ser merecedora de um Oscar por melhor filme. Mas como melhor ator, tive certeza desde a primeira cena que ele seria o eleito. Até por que foi a quinta indicação do Jeff, e todas as outras quatro foram atuações épicas e inesquecíveis, ou seja a academia devia essa pro cara. 
 
O Bad Blake teve muito do própio Jeff como pessoa, além da voz nas canções do personagem. Foi um projeto que ele se dedicou e se reuniu com pessoas que ele gosta de trabalhar e passar algum tempo junto. E pra mim, tirando a Maggie (fiquei pensando o tempo todo em como a Drew Barrymore poderia cair bem melhor no papel), o elenco e a equipe técnica estavam perfeitos mesmo. Falando nisso, o menininho que interpreta o Buddy, o Jack Nation é uma graça. Atuou muito bem, como eu nao via uma criança fazer há tempos.




E uma coisa que eu gosto muito, são aqueles filmes que te deixam algo para depois que a sessão acaba. A trilha sonora fantástica pra ouvir, o elenco e/ou diretor que fascinam e despertam a vontade conhecer tudo o que foi feito antes, e os aspectos artísticos e filosóficos que te acrescentam algo mais duradouro que aquelas duas horas. E posso te garantir que esse filme tem tudo isso. Principalmente pelo Jeff, eu sempre gostei muito dele, e procuro assistir e acompanhar tudo que ele faz, se não é assim pra você, a partir desse filme sua lista de "atores que eu mais gosto" vai passar a ter um nome a mais.



Fotos tiradas pelo próprio Jeff no set. A fonte é o site oficial dele, que na verdade é muito interessante. www.jeffbridges.com

Não sei se já tem o filme disponível pra download, provavelmente sim. Mas não vou procurar, muito menos disponibilizar aqui porque esse é um filme que realmente vale o dinheiro que você vai gastar com o bilhete no cinema.
Mas a trilha sonora pode ser encontrada aqui.


ps- não sabia mesmo que o Colin Farrel cantava tão bem.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Freaks. (J. D. Salinger)



"We’re freaks, that’s all.
Those two bastards got us nice and early and made us
into freaks with freakish standards, that’s all.
We’re the tattooed lady,
and we’re never going to have a minute’s peace,
the rest of our lives,
until everybody else is tattooed, too."

- J. D. Salinger; Franny and Zooey.

terça-feira, 2 de março de 2010

Van Halen and the summer.

Beautiful Girls

She was a-seaside sittin'
Just a-smokin' and a-drinkin' on ringside
On top of the world, oh yeah
She had her drink in her hand
She had her toes in the sand and whoa! Ha, ha
What a beautiful girl, ah yeah
What a sweet talkin' honey with a little bit o' money
She turn your head around
Creature from the sea with the looks to me
Like she like to fool around

What a snappy little mammy gonna keep a pappy happy
And accompany me, to the ends of the earth, ah yeah
Ah, that's why I said

Here I am, ain't no man of the world, no
All I need is a beautiful girl
Ah yeah, beautiful girls

Woo, come here, honey. Come here, come here, come here

Well, I'm a bum in the sun and I'm havin' fun
And I know you know I got no special plans (Special plans)
All the bills are paid, I got it made in the shade
N' all I nee-nee-need is the woman, ha-ha-ha (Understand)

What a sweet talkin' honey with a little bit o' money
She turn your head around
A creature from the sea with the looks to me
Like she like to fool around
(...)


Van Halen é uma delícia de ouvir, principalmente nessas summer nights quentíssimas. Com o Lee Roth, que é meu preferido...e q está numa posição muito privilegiada no meu top 5 de vocalistas.

Clique aqui pra ouvir Beatiful Girls.
E aqui pra fazer download da discografia do VH.



segunda-feira, 1 de março de 2010

l'amour.

"Good love is hard to find.
You got lucky, babe.
You got lucky, babe, when I found you."
                                                Tom Petty




"Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro. Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende? Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era seu. "

                                                                                 Caio Fernando Abreu



"I'd sacrafice anything come what might
For the sake of having you near,
In spite of a warning voice that comes in the night
It repeats, repeats in my ear
'Don't you know you fool, you never can win
Use your mentality, wake up to reality'
And each time I do, just the thought of you
Makes me stop before I begin,
Because I've got you under my skin."                Frank Sinatra