segunda-feira, 31 de maio de 2010

#musicmonday 6 – Poison com Unskinny Bop.

O Bret Michaels fez e faz parte de umas das maiores bandas de hard rock. Foi ícone de beleza dos anos 80. Namorado da Pam Anderson. Foi junkie, pegou mil pessoas antes e depois da Pam. Participou de um reality ridículo. Perdeu os cabelos tentando chegar no perfect blonde.

E não está no #musicmonday por nada disso.

E sim por que quase morreu nessas últimas semanas, mas lutou, está bem e até me fez ficar emocionada com American Idol (que nunca tinha assistido na vida).

Pensando nisso tudo, eu percebi o quanto seria triste pra mim saber que ele nao está mais pelo mundo levando o verdadeiro rock and roll lifestyle, ainda.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Convite pessoal e intransferível.

"Você vai me abandonar e eu nada posso fazer para impedir. Você é meu único laço, cordão umbilical, ponte entre o aqui de dentro e o lá de fora. Te vejo perdendo-se todos os dias entre essas coisas vivas onde não estou. Tenho medo de, dia após dia, cada vez mais não estar no que você vê. E tanto tempo terá passado, depois, que tudo se tornará cotidiano e a minha ausência não terá nenhuma importância. Serei apenas memória, alívio, enquanto agora sou uma planta carnívora exigindo a cada dia uma gota de sangue para manter-se viva. Você rasga devagar o seu pulso com as unhas para que eu possa beber. Mas um dia será demasiado esforço, excessiva dor, e você esquecerá como se esquece um compromisso sem muita importância. Uma fruta mordida apodrecendo em silêncio no quarto."
Caio Fernando Abreu
Os Dragões não conhecem o Paraíso- A Outra Voz.

É difícil vagar, divagar por aí se só conheço lugares-pessoas-idéias-destinos que você me apresentou e fez com que se tornassem importantes.
Entende como seria estranho voltar aquele cinema do Centro, aquele dos dias sem vontade de aula ou trabalho, escolher um filme europeu qualquer sem sua mão no meio das poltronas pra recorrer num momento de solidão?
Esse é meu mal. E daí vem tanta necessidade de você. A solidão que me bate dia e noite de não te ter por perto.
Fui ao interior, vi família e conhecidos como você me aconselhou. Bastante gente sabe, almoço de domingo depois de passar a manhã na feira comprando lembrancinhas e coisinhas que talvez a gente pudesse curtir juntos. Mas sem você parece que tudo em volta continua colorido e eu permaneço em preto e branco. Desgastado. Desinteressante. Fosco.
Tá certo, já me disse que a vida não se resume a você, nao precisa repetir. Mas se eu vivo do seu brilho e sorriso, imagina como é funesto ser fosco como metal escovado depois de tantos anos.
Por isso entenda se eu realmente partir. Sei que não tenho por onde e nem pra onde ir sem previsão de volta. Mas te deixo avisada que estou movendo todas as minhas peças para que isso possa ocorrer.
Pode não preencher esse vazio que sua companhia me deixou. E sei que vou lembrar de você sempre que contar uma história, disser algo como você…sabe do tipo “é, como uma amiga dizia…” ? Por que nesse momento sou muito mais você do que eu. Aliás, bom tópico pra ocupar minha cabeça. Que merda sou eu sem você? E vou recordar de novo e desejar sua presença, porque você é capaz de responder todas essas perguntas pseudo-profundas e tolas que eu insisto em ficar matutando.
O espaço nesse guardanapo acabou. A bebida também. Seu interesse por mim… nem se fala. Sua paciência deve estar por um fio após ler tanta besteira. Mas tem espaço pra mais uma pergunta, que deve ser o objetivo disso tudo desde o começo: será que dá pra esquecer todo esse ranço que você juntou pelo nosso relacionamento, e vir comigo?

tumblr_kxyb0yXogY1qz6f9yo1_500

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Oh, the summer…Download e Isle of Wight.

Ahh o verão europeu chegando… e junto com ele os melhores e maiores festivais de música do mundo.
Por exemplo: Glastonbury,V, T, Carling Weekend (Leeds & Reading)
E o Download, que nesse ano está impressionante (diferente da maioria dos citados acima).

20100207-214933-498006

AC/DC, Stone Temple Pilots e Motorhead. Do que mais uma pessoa precisa?
De Saxon e Cinderella talvez…um Billy Idol de leve não faz mal a ninguém. E vai ter tudo isso. Dá uma olhadinha no line up e morra de vontade de ter nascido ou inglês ou rico.
Local: o lendário Donington Park, de 11 a 13 de junho.

Convicta de que nada poderá ser melhor ou equivalente ao Download, fui dar uma verificada nos outros, e realmente estão mesmo terríveis. Eminem e Black Eyed Peas? WTF?

Eis que com uma atração, somente uma, o Isle of Wight se fez mais prioridade que o Download.
 isle_of_wight_festival_lSir Paul McCartney é um dos headliners do festival.
(confira outras atrações, aqui. Também tem Blondie e Juliette Lewis!)
E por pura coincidência ou estratégia comercial, os dois eventos acontecem na mesma data.
Todo mundo sabe que o Paul tá meio que cansado dessas tours e festivais gigantes, e pensando seriamente em dar uma descansada. Com essa idade Paul, descansar? Descansa quando morrer po!

Mas enfim, se você mora na Inglaterra e é rico, pode alternar os festivais já que AC/DC é na sexta e Paul no domingo.
Mas se você é como eu, vai ficar só na vontade mesmo, implorando a todo tipo de divindade que o Paul apareça pelos próximos meses e bem feliz por já ter visto Motorhead e AC/DC.
(Ah, eu também to jogando na mega-sena e fazendo umas simpatias.)

segunda-feira, 17 de maio de 2010

#musicmonday 5 – Dio com The Last in Line.

Nenhuma palavra postada aqui ou em qualquer outro lugar fará jus ao grande mestre, que todos vocês aí, que curtem um metal/rock and roll, devem muito.

Só por fazer esse sinal:

Dio07

….você já tem que prestar reverência ao grande.

RIP Ronnie James Dio. Muito obrigada por tudo.

We're a ship without a storm
The cold without the warm
Light inside the darkness that it needs, yeah

We're a laugh without a tear
The hope without the fear
We are coming - home

We're off to the witch
We may never never never come home
But the magic that we'll feel
Is worth a lifetime

We're all born upon the cross
The throw before the toss
You can release yourself
But the only way is down

We don't come alone
We are fire we are stone
We're the hand that writes
Then quickly moves away

We'll know for the first time
If we're evil or divine
We're the last in line 

Two eyes from the east
It's the angel or the beast
And the answer lies between
The good and bad
We search for the truth
We could die upon the tooth
But the thrill of just the chase
Is worth the pain

We'll know for the first time
If we're evil or divine
We're the last in line
We're the last in line

We're off to the witch
We may never never never come home
But the magic that we'll feel
Is worth a lifetime

We're all born upon the cross
The throw before the toss
You can release yourself
But the only way you go is down .

 

ps- Odeio Dream Theater e não vou muito com a cara do Mike Portnoy, mas achei uma grande sacada essa homenagem dele:
"Descanse em paz, Ronnie James Dio... um dos melhores de todos os tempos. Parece que Dime (Dimebag, PANTERA), Rhandy (Rhoads, OZZY OSBOURNE), Cliff (Burton, METALLICA) e Bonzo (John Bonham, LED ZEPPELIN), acabaram de achar um vocalista. Este é um dos dias mais tristes que o metal já teve."

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Máquina de escrever, o gato e a morte.

 

tumblr_l14xsj3CeX1qzjkuso1_500Como se pudesse se livrar de de toda dor, despia-se lentamente sentada na velha poltrona listrada. Despia-se dos sonhos e do amor que sentiu por tanto tempo. Não por falta de vontade de tê-los por perto, na verdade não aguentava mais sustentar tanto peso.

Falavam dele nos encontros quase semanais, regados a cerveja e vinho. Lembravam de suas palavras e músicas, destinavam inúmeros brindes à ele. Mas em sua vida ele era muito mais do que pauta para conversas quando o silêncio começava a imperar. Continuava presente como se nunca tivesse saído. E isso foi a carga mais pesada que teve que arrastar em sua vida, estimava.

Era terrível viver para alguém que não portava mais sequer uma fagulha cintilante de vida, para destinar a ela nem que seja por telefonemas uma vez ou outra.

Decidiu que precisava deixar isso pra trás. Desistir do que há muito todos haviam desistido. Não tinha um outro objetivo ou ocupação pro seu coração despedaçado. Mas como poderia haver se ele estava tão saturado de lembranças que, afinal, nunca deixariam de ser apenas combustível para manter algum tipo de sentimento queimando por dentro dela quando avistava uma foto timidamente colocada na penteadeira, ou aqueles recadinhos bobos em guardanapos na porta da geladeira.

Aliás, nessa reviravolta que estava pretendendo, o que diabos poderia fazer com as fotos, guardanapos, cartas e o madito gato, que ele insistiu que continuasse na casa mesmo depois de crescer e de arrumar um dono que gostasse mais de gatos do que ela?
Maldito, maldito gato.
Malditas cartas e todas as formas que ele se fazia presente mesmo depois de morto, enterrado e decomposto.
Maldito coração que não conseguia se dedicar a mais ninguém, nem ao maldito gato que era a única companhia que ela permitia, por que pertencia ao finado, que amava tanto o gato. E ela não suportaria a consciência pesando dia e noite, se não tivesse a criatura pra alimentar, e manter aconchegada em seu colo enquanto tentava desenvolver um final decente para o romance que escrevia.
O romance sobre a medíocre vida dela sem ele, claro. Café, máquina de escrever, lembranças, dor, saudade, algum fumo e algum álcool, e o gato. Tinha tudo pra ser uma boa escritora, só lhe faltava a idade.

Nesse momento sentiu que precisava agradecer ao gato, por dar um pouco de vida em meio a tanta morte.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

#musicmonday 4 – Beatles com Across the Universe.

15306__be_l O Let it Be fez 40 anos nesse sábado.

E mesmo se não fizesse, Beatles é conveniente a qualquer hora ou dia, e a banda mais importante da minha vida.

Os 40 anos do Let it Be só ajudou a definir a música desse #musicmonday… ajudou naquelas né, por que fiquei indecisa entre umas 3 ou 4.

E aí escolhi essa. Por que é do John. Por que tem uma passagem da letra que eu acho sensacional. E por que eu sempre relacionei essa música com esse frozinho que ta fazendo, de dias ensolarados.

And goes like these…

Words are flowing out like endless rain into a paper cup,
They slither while they pass they slip away across the universe.
Pools of sorrow, waves of joy are drifting through my opened mind,
Possessing and caressing me.

Jai guru deva, Om.

Nothing's gonna change my world.

Images of broken light which dance before me like a million eyes,
They call me on and on across the universe.
Thoughts meander like a restless wind inside a letter box,
They tumble blindly as they make their way across the universe

Jai guru deva, Om.

Nothing's gonna change my world.

Sounds of laughter, shades of love are ringing through my opened ears,
Inciting and inviting me.
Limitless undying love, which shines around me like a million suns,
And calls me on and on across the universe.

Jai guru deva, Om.

Nothing's gonna change my world.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Novos caminhos para Ashcroft/Frusciante.

Duas coisas que fiquei sabendo essa semana, me entusiasmou e acho que bastante gente já sabia.

1- richard-ashcroft-united-nations-of-sound

Richard Ashcroft está com uma banda nova, United Nations of Sound, composta por músicos que só o conheciam por Bitter Sweet Symphony. Isso me assustou. Mas nem se comparou com o susto que tomei quando li que o disco tem influência de hip hop e sei la o que.

Enfim, o disco se chama Redemption e a primeira faixa é Are you Ready, que achei bem simpática, e já tem até clipe.

Só uma coisa, o Verve voltou faz pouco tempo, coisa que me deixou muito feliz, e não fizeram ainda uma tour mundial decente pra comemorar esse fato. Agora mr. Ashcroft, pra que se ocupar com projetos paralelos, quando se tem tanta coisa pendente pra fazer?

2- Omar A RodriguezLopez  John Frusciante

Os fãs do John Frusciante mal se curaram do trauma (pra mim foi, dos grandes ainda) de vê-lo saindo do Chili Peppers, e ele está lançando um projeto novo e estranho (como tudo que ele tem feito sozinho) em parceria com Omar Rodriguez do Mars “moderninho” Volta.

É um disco intitulado com o nome dos dois e já disponível on line aqui. Você paga a quantia que achar justa pra baixar o disco, ou não paga nada se preferir. O dinheiro arrecadado com as vendas será revertido para o projeto “Keep music in schools”.

Ah, são 7 faixas, com nomes bizarros, todas instrumentais.

omarjohn 1. 4:17am - 03:25
2. 0=2 - 03:52
3. LOE - 04:41
4. ZIM - 03:55
5. VTA - 03:48
6. 0 - 04:11
7. 5:45am - 04:57

terça-feira, 4 de maio de 2010

segunda-feira, 3 de maio de 2010

#musicmonday 3 – Living Colour com Cult of Personality.

living-colour-3 Nunca fui a favor de bandas que eu gosto tocando de graça por aí. Ainda mais quando esse “por aí” é no finíssimo centro de São Paulo, cheio de pessoas educadas. Mas por eles ACHO que enfrento algumas adversidades.

E essa banda é excepcional em todos os sentidos. Não tem um ou outro cara negro na banda, são TODOS. E claro que tem características de luta social nos álbuns, e sei que em alguns casos fica bem chato, mas essa banda não consegue ficar chata nunca.

E pra quem tem preconceitinhos (não to falando de cor) por que ja ouviu Glamour Boys e derivados e acha “poser” demais, prestem atenção nesse som, executado ano passado na Argentina, com o Corey Glover sem os dreads e as roupas com todas as cores do mundo, mas com a voz impecável, e mudem sua opinião. Ou não mudem e deixem o show dos caras mais vazio e tranquilo.

Look in my eyes, what do you see?
The Cult of personality
I know your anger, I know your dreams
I've been everything you wanna be

Oh...

I'm the cult of personality
Like Mussolini, and Kennedy
I'm the Cult of personality
The Cult of personality
The Cult of personality

Neon lights, Nobel Prize
When the mirror speaks, the reflection lies
You won't have to follow me
Only you can set me free

I sell the things you need to be
I'm the smiling face on your T.V.
Oh, I'm the cult of personality

I exploit you still you love me?
I told you one and one makes three
Oh, I'm the cult of personality
Like Joseph Stalin, and Gandhi
I'm the cult of personality
The Cult of personality
The Cult of personality

Neon lights, Nobel Prize
When a leader speaks, that leader dies
You won't have to follow me
Only you can set me free

You gave me fortune
You gave me fame
You gave me power in your god's name
I'm every person you need to be.