sexta-feira, 30 de julho de 2010

#11

“We are here to laugh at the odds and live our lives
so well that Death will tremble to take us."

Um drink ou dois comigo não te atrasa tanto assim.
Te atrasar em que não sei. Você sempre foi o sem rumo, e se achasse um era exatamente o contrário do resto do cardume.
Há certas coisas porém, que nos impossibilitam de tomar o caminho inverso.
A morte.
Se apresentou à você por pura curiosidade, penso eu. E indo contra mais uma vez, esta era grande conhecida sua. Você flertou mais com ela do que com todas as jovens de seios fartos, antes e após a fama. E como a dama distinta que é, nunca deu muita atenção pro bêbado safado sentado no canto mais escuro do bar.
Notável ao mundo todas as demonstrações de insanidade que você deu, tentando desesperadamente voltar a atenção dela à você por uma noite apenas, mas ela sempre se virou e saiu pela porta do bar, como se você já não existisse.
Talvez ela tenha te percebido. E se divertia tanto com você quanto eu. Sei que é estranho obter diversão com as desgraças alheias. Mas era disso que você vivia. Daí que tirarava seu sustento. Da desgraça. E foi através dela que desenvolvi todo essa relação com você. Meu amor incondicional por cada linha encharcada em caos e sujeira. Minha mania, irritante diga-se de passagem, de pensar o que você faria se estivesse na minha situação.
(E a única resposta que vem a minha mente é: você beberia ou você escreveria ou você tentaria se distrair de uma forma barata e fácil. Ou todas as alternativas anteriores.)
Sei que cedo ou tarde ela bate a porta de todo mundo. Na maioria das vezes quando aprendemos a dar algum tipo de valor, mesmo que a toda aquela desgraça. E por isso, suponho eu, você deve ter perdido seu encanto.
Mas com certeza, após tanto desprezo, quando ela te encarou entendeu o porque de tantos desencontros. O medo é o que nos mantém longe do perigo.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Quando eu morrer quero ser enterrado perto do hipódromo.

20090328215258

"Fui pro banheiro e olhei minha cara no espelho. Horrível. Podei uns fios brancos na minha barba e outros tantos no cabelo, em volta da orelha. Olá, Morte! Você já me deu quase seis décadas. Já te dei muitas chances, há muito tempo eu deveria ser teu. Quando eu morrer quero ser enterrado perto do hipódromo...onde possa ouvir o tropel dos cavalos na reta final."

Um dia eu disse pra um idiota qualquer que tudo que eu queria na vida é ter um pouquinho da escrita do Buk na minha, que é o escritor que eu mais admiro. Ele me respondeu “sua maior ambição é ser como Charles Bukowski? Você tá precisando ler outras coisas.”
Com toda essa “serenidade” óbvia em mim, eu mandei o cara tomar no meio do cú.
E depois de ler certas coisas do Hank, me orgulho tanto da minha resposta.

Não existe nada mais SENSACIONAL que Charles Bukowski.
Sem mais.

terça-feira, 27 de julho de 2010

#4

“The stars are all aglow
And tonight how their light sets me dreaming
My love, do you know
That your eyes are like stars brightly beaming?
I bring you, and I sing you a moonlight serenade.”

Todas as lembranças se transformaram com o passar dos anos.
E quantos anos…
Tenho algumas perdidas, as vezes se manifestam e me inspiram um sorriso.
Lembro que alguma coisa certo dia mudou bruscamente na minha vida. Não conseguia discernir, e ainda não consigo. Mas sentia um aperto tão grande em saber da sua existência e saber que você estava longe, apesar da proximidade geográfica, já que pra criança tudo parece maior, mais tarde, mais grave do que realmente é. Era como se tivesse me faltando um braço, ou alguma coisa mais importante.
Eu ia até sua casa então, depois de muito choro, muito drama e uma viagem de uns 40 minutos. E lá eu sentia que aquela era a minha casa. Mas como aquele lugar mágico poderia ser minha casa, se há 40 minutos eu tinha acabado de sair dela pra te encontrar?
Claro que um dia os fatos ficaram claros. Não da mesmo pra negar a uma criança todo seu passado. Não todo, mas alguns anos importantes. Anos que transformaram pensamentos e sentimentos. E com isso veio algum trauma, aquele sentimento de rejeição. Enquanto umas crianças perguntavam por que tem raios quando chove, eu perguntava “por que eu estava lá com ela e não em casa, com vocês”.
Você foi minha segurança quando eu precisei estar com você. Você foi aquela pessoa sã o suficiente pra me acalmar quando a loucura reinava em casa. Você me deu outras prioridades e valores que eu considero primordiais. Você me deu toda atenção quando o resto do meu mundo era muito caótico pra uma criança entender.
Olhava suas fotos quase todas as tarde quando ia te ver. E ficava tão orgulhosa do seu rosto de atriz de cinema americano. Meio como Ava Gardner com um cabelo de Rita Hayworth. E você ia até mim e dizia “linda, você quando crescer vai ser miss.”
Não sou, nem me pareço com a Ava Gardner.
Mas em quase tudo que eu fiz, e que evitei, pensava o que você falaria se pudesse me dar um conselho. E espero mesmo ter muito em mim do que você foi. Uma das únicas pessoas que eu tenho certeza, que apesar de tudo, vai sempre ter um cantinho pra mim. Em qualquer ocasião.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

#1

“I've been with you such a long time
You're my sunshine and I want you to know
That my feelings are true…


Ouvindo By the Way me deu vontade de escrever sobre e para você.
Eu te escrevia tantas cartas há uns 5 anos. Bilhetinhos. Queria que você guardasse tudo em qualquer lugarzinho. Guardasse um pedacinho de mim dentro de você. E que tudo isso fosse útil quando você precisasse de alguém. E que quando você precisasse de alguém, que eu fosse a primeira pessoa a passar pela sua cabeça.
A gente não é do tipo que precisa de outros com muita frequencia. Que manifesta a dor ou prazer com tanta facilidade aos sete ventos. A gente é mais do tipo que se faz presente. Que sofre junto. Que sorri da felicidade do outro, junto com o outro. Que faz do problema do outro, nosso problema.
Que dorme junto na ruafriochuva quando o outro por algum motivo estúpido e relacionado ao álcool não quer voltar pra casa.
Você sempre deu mais trabalho que eu. Você sempre foi mais vulnerável do que eu. Então eu pegava todas essas características acima, que nós dois temos, me munia delas, arrumava a mala, preparava uns cds pra você ter mais uma lembancinha minha, pegava o primeiro onibus, dava um play no by the way e corria o mais rapido possivel pra te dar um abraço, que você só retribuia com a mesma intensidade por que sentia que eu realmente estava precisando.
Nunca foi e nem será uma coisa do tipo “eu tenho um melhor amigo e conto minha vida toda pra ele”, até por que você é menino, eu menina, eu morro de ciúmes de você e nao estou nem um pouco interessada na sua vida amorosa. Mas a nossa cumplicidade se estabelece de forma diferente. Se estabelece naqueles inúmeros “eu te amo pode contar comigo sempre” em inúmeras situações caóticas ou belas. No carnaval com a sua cabeça rachada, nos divesos corotes vazios, nas ressacas, nos aniversários, na minha suposta tentativa de suicídio no lago (haha), nas pazes depois das brigas, dançando frenéticamente ao som de blood sugar, na reabilitação.
Estou sempre com você e por você, senão fisicamente, naquele lugar especial que você fez o favor de me guardar e me tornar a sua irmã, sem pedir absolutamente nada em troca.

…I really love you
you’re my best friend.”

30Letters in 30Days.

Sou avessa a compromissos, projetos e obrigações.
Mas quando tentei relacionar cada tema com uma pessoa percebi que…nunca tinha relcionado pessoas a temas.
Pra conseguir levar isso pra frente, nem que seja um pouco só, nao faço nenhum tipo de garantia sobre como e com que frequencia irei postar.
Mas a favor do auto-conhecimento, vou dar uma chance.
Day 1 — Your Best Friend
Day 2 — Your Crush
Day 3 — Your parents
Day 4 — Your sibling (or closest relative)
Day 5 — Your dreams
Day 6 — A stranger
Day 7 — Your Ex-boyfriend/girlfriend/love/crush
Day 8 — Your favorite internet friend
Day 9 — Someone you wish you could meet
Day 10 — Someone you don’t talk to as much as you’d like to 
Day 11 — A Deceased person you wish you could talk to
Day 12 — The person you hate most/caused you a lot of pain
Day 13 — Someone you wish could forgive you
Day 14 — Someone you’ve drifted away from
Day 15 — The person you miss the most
Day 16 — Someone that’s not in your state/country
Day 17 — Someone from your childhood
Day 18 — The person that you wish you could be
Day 19 — Someone that pesters your mind—good or bad
Day 20 — The one that broke your heart the hardest
Day 21 — Someone you judged by their first impression
Day 22 — Someone you want to give a second chance to
Day 23 — The last person you kissed
Day 24 — The person that gave you your favorite memory
Day 25 — The person you know that is going through the worst of times
Day 26 — The last person you made a pinky promise to
Day 27 — The friendliest person you knew for only one day
Day 28 — Someone that changed your life
Day 29 — The person that you want tell everything to, but too afraid to
Day 30 — Your reflection in the mirror.

terça-feira, 20 de julho de 2010

O de sempre. Aquilo sem cura.

Se te quero por perto
É por que consome, mesmo que pouco a pouco
Tudo isso que estou disposto a te dar.

Nunca fui do tipo que
mantém relações de mão única.
Quero a garantia de que se necessitar das palavras
suas, ou citações, daquelas precisas
posso te ligar numa segunda ou quarta, frio e chuva
lá pelas 3, quando bate a ausência de tudo e se instaura por dentro esse abismo.

Tô com os cigarros por perto
pra manter esse ar pesado
pra me puxar de volta quando caio no sono
Me dá a pior das angústias pensar
pensar principalmente nesse caos a ser resolvido
Então dou um trago no cigarro, outro, mais um.
Tento criar uma linha de raciocinio
mas as memórias que me restam
são fantasias que criei
em cima de pequenos cacos,
que juntava pela noite
quando sentia o especial acontecendo.

Então nesse momento, to precisando mais
e com pouquissima coisa a te doar.
Quase nada mesmo.
Se quiser voltar a fumar ou companhia pra beber.
Se quiser me recitar um poema
ou caminhar pela praia.
Tô na mesma.
Tem meu endereço na agenda.
Só que, sendo sincero, to precisando que me
consuma um pouco e me tire essa penumbra
Me abra a janela e deixe o sol entrar.

Preciso mesmo que consuma tudo que está sobrando
em mim, nessa casa.
E tem tanta coisa,
meu amigo,
você nao vai saber mesmo por onde começar.
Mas vai achar o caminho, coisa que sem você,
pra mim, nunca houve.
O que tá dentro continua intacto.
Já o que ta por fora, não se assuste.
mofou, apodreceu e te garanto
a única coisa que o tempo nao faz é curar.

terça-feira, 13 de julho de 2010

High Fidelity.

Só uma listinha, sem pretensões e com MUITOS favoritos ausentes. Na maioria delas eu não consigo ficar sem dançar e em duas eu choro um pouquinho.
Enfim, me deu vontade de ouvir essa lista, nessa sequencia. Hoje.

1. Toca o “2, 3, 4…” e eu já to dançando, nao importa onde.

2. Linda. Backing vocal perfeito do John.

3. Uma historinha clichê, numa voz maravilhosa.

4. Cold Ethyl, I am stuck on you…

5. Música pra ficar no repeat, no mínimo durante a vida toda.

6. Trilha sonora pro headbanger 80’s virar umas 3 Budweisers.

7. “I’m screaming like a fuckin’ asshole all night” diz o Vince Neil, mas como podemos ver no vídeo ta dia ainda. Isso resume bem os bad boys of LA.
(eles estavam tão lindos nessa época, que eu simplesmente não me canso de ver esse vídeo *-*)

8. Because I’m having such a good time!

9. Sem Oasis, esse dia nem tem graça.

10. E por fim, o clipe mais engraçado de todo o mundo. Sem exageros.

ps- Mais listas a caminho. Viciei nisso.

Good, good times boys, make me feel good.

GiulyRocks. diz:
*independente de td isso
*e de como as coisas vão ficar
*nós 4 somos amigos e irmãos pra vida td e no que depender de mim nd disso vai mudar.

Madruga Grunge diz:
*pra mim tbm
*nos já nos tornamos uma família
*é como se eu tivesse ganhado três irmãos

Era mais ou menos isso que eu estava tentando dizer no post anterior.

boas mais nem tanto 140

I’m so rock and roll right now.

Pra maioria é só música, como todas as outras. Puro entretenimento descompromissado. Uma fonte inesgotável de downloads. Uma maneira de socializar e fazer parte de um grupo. Mas pra mim é meu estilo de vida, há no minimo 13 anos.

É o que me faz feliz em todas as manhãs depressivas e com ressaca. É a causa das ressacas. É o motivo da minha primeira tatuagem, das outras e de todas que virão. É o que eu visto. É meu assunto preferido. É o que me faz viajar e o por quê das saídas de sexta. É de onde veio meus melhores amigos, momentos e histórias. Com certeza é a causa de quase todas as minhas brigas&confraternizações nesses finais de semana etílicos e absurdamente loucos.

Hoje só me deu uma vontade de escrever essas linhas bobas. Mas é praticamente a ele que eu dedico todos os dias. Dia 13 é só quando me dá essa sensação de orgulho por partilhar algumas histórias com Robert Plant, Bon Scott, Keith Moon e Richards, JohnPaulRingoGeorge, Tony Iommy, Lemmy, Cobain, Liam&Noel… tanta gente que narrou minha vida antes mesmo de 1987. Como pessoas que você nunca nem vai ter oportunidade de falar ao telefone ou trocar uma carta pode conhecer tanto seu gosto musical?

Pois é, há coisas que só o rock and roll faz por você. Por mim, ele faz todas, sem excessões.

nikki beauty tumblr_l260w8L8Ki1qz9qooo1_500

paul&linda tumblr_l1phja1ur31qz6f9yo1_500

   tumblr_kwsb63IITp1qz6f9yo1_500   angus bon caSh&dylan tumblr_kvucqy2ff01qz6f9yo1_r1_500 tumblr_kvwmqmn3gj1qz6f9yo1_500 tumblr_l2qfwnuPax1qz6f9yo1_500 gallaghers

tumblr_l12s4eFYTw1qz9qooo1_400 tumblr_l13aotns9t1qz6f9yo1_500 tumblr_l17plfFRXy1qz9qooo1_500 tumblr_l27qwu0X0x1qz6f9yo1_500  

tumblr_kw6czyH9vI1qz6f9yo1_500 tumblr_kwbi1h1krK1qz6f9yo1_500tumblr_kwve3herUf1qz6f9yo1_500     tumblr_kwm0wovvtR1qz6f9yo1_500

segunda-feira, 12 de julho de 2010

#musicmonday 8 – Mark Lanegan com Don’t Forget Me.

Essa voz com toda essa simplicidade, no mínimo adorável, como tudo que ele tem feito depois de Screaming Trees.

Cool water divine
Now I'm thristy with nowhere to go
And what else do we find
But sorrow and misery untold
I know you got somebody new
Much better than me
When that change starts to swing, keep in mind one thing
Don't forget me dear
And when you're lost I feel it too
Woman make life sweet
Because of what you do, all my world is you
Now I know it's not easy don't believe them when they say I'm not right
Don't put a hex on me baby
Because I don't know what's wrong or right
I know that there's somebody new
Much better than me
But because my love is true, all my best to you
Don't forget me dear
And when you're alone please take care
Don't go walking after dark
Shine a light behind the stair
Remember what might be in there
Cool water divine
Now I'm thristier with nowhere to go
It's sorrow that we find
I'm thirstier with no where to go
I know that there's somebody new
Much better than me
When that change starts to swing, keep in mind one thing
Don't forget me dear
Because my love is true, give my best to you
Don't forget me dear.

Foto-0006

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Under the Influence.

Pensei que se lesse um pouco, poderia ter alguma inspiração pra escrever.Acontece (ou acontecia) quando leio determinados autores.
Aí pensei que cansei de ler o que eu estava escrevendo. Decidi sair dos favoritos e ler um pouco dos que sempre ficaram pra depois. Talvez conseguisse escrever de modo diferente.
Observando a cidade de dentro do ônibus, lembrei disso:

tumblr_l1hwufykxJ1qz6f9yo1_500

E então percebi o quão careta eu sou pra ter inspiração e escrever alguma coisa.
Sugiro aqueles que são contra até o copinho de cerveja no final da tarde, que leiam QUALQUER livro dessa lista.

A arte vem do obscuro, daquelas experiências que você deveria passar longe nessa sua busca eterna pela felicidade.
O suicídio é terrivel, o aborto contra as leis naturais&divinas, o uso de drogas é marginalizado, a farra boêmia é pros vagabundos, o sexo fácil e como produto é sujo.
E nesse mesmo contexto, o que Van Gogh pintava continua sendo lindo, Kerouac continua sendo uma das maiores influências de gerações desde que On the Road foi escrito, Huxley faz parte de bibliografia de muitos cursos universitários. Beethoven, Mozart, Sinatra, Hendrix, Lennon, Morrison, Cobain ainda são gênios supremos e incontestáveis.

"Imperfection is beauty, madness is genius and it's better to be absolutely ridiculous than absolutely boring."
Marilyn Monroe.

Pois é meu amigo, essa sociedade com todos esses humanos-marionetes… isso tudo é muito engraçado, tenho que admitir.