sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Ausência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.

Drummond

Um comentário:

  1. Olá Giulianna!
    Grande Drummond, em poucas palavras escreveu o que todos têm, digo, o que todos sentem.
    "É por isso que precisamos dos poetas. Pois são aqueles que tecem as suas palavras em volta do frágil fio que nos amarra sobre o abismo. Eles sabem que nos nossos corpos mora um adeus." (Rubem Alves)
    Prazer estar aqui! Com tempo, venha ler e comentar TODO DIA É DIA DE FINADOS no http://jefhcardoso.blogspot.com
    Caso goste do texto e do blog conto com seu voto na 2ª fase do Top Blog 2012, obrigado.
    Abraço e colha um bom dia!

    ResponderExcluir